Além do acesso, a Tuna Luso Brasileira garantiu o título da Segunda Divisão do Campeonato Paraense 2020. A conquista veio após vitória de virada sobre o Gavião Kyikatejê, por 4 a 2, na manhã do último domingo. A partida foi realizada no Estádio Francisco Vasques, o Souza, a casa tunante. Autor de um dos gols, o atacante Paulo Rangel comemorou terminar o torneio como artilheiro do clube, com cinco gols.

– Independente dos gols que a gente fez, o importante é que conquistamos o objetivo coletivo do clube. A gente vinha carregando esse fardo de sete anos, esse tabu. Foi uma pressão muito grande, mas o grupo desde o começo estava querendo, é um grupo vencedor. Mesclando a experiência com a garotada que está começando e tem vontade de vencer, não tem como dar errado. A gente se manteve forte e firme – exaltou o centroavante.

O camisa 9 agora vai tirar a semana para analisar seu destino para a próxima temporada. A prioridade, segundo Paulo Rangel, é renovar com a Águia Guerreira para disputar a primeira divisão do estadual, a partir de fevereiro, porém também não descarta voltar a jogar fora do país.

– A prioridade é da Tuna nesse momento. Ainda não tivemos nenhuma conversa, tenho propostas de fora, mas estava esperando acabar a competição, estava muito focado nisso. Agora tenho uma semana para descansar e analisar, mas a prioridade é sempre ficar na Tuna. Tenho um carinho muito grande por esse clube e também estou em casa, ficar perto da família é muito importante. Isso não depende só de mim, mas de todo o projeto que têm para mostrar para a gente – explicou Rangel.

DIRETOR QUER MANTER ESPINHA DORSAL

A Tuna encerrou a temporada com calendário garantido para o primeiro semestre. Tradicional, o clube traça como meta uma boa colocação na Primeira Divisão de 2021 para confirmar vagas em torneios nacionais, como Série D e Copa do Brasil. Esse planejamento iniciou assim que o acesso foi confirmado, na semana passada.

Entre os objetivos do diretor de futebol Eder Pisco está a manutenção da comissão técnica e de uma base do elenco campeão da Segundinha.

– A gente já está montando o planejamento para a temporada que segue. A ideia é a renovação natural do Robson e também da maioria do elenco. A gente criou realmente um grupo incrível de pessoas trabalhadoras, que se identificaram com o clube. Sabemos que precisamos resgatar esse DNA – avaliou.

"Saber do interesse que nossos jogadores, mesmo com outras propostas, têm a preferência pela Tuna realmente nos deixa orgulhosos e ainda mais gratificados pelo reconhecimento deles. Se eles querem renovar é porque nós fizemos um trabalho honesto, sério, e eu posso dizer o mesmo deles também".

Esta foi a terceira temporada Eder Pisco à frente da diretoria de futebol tunante. Empresário do ramo de veículos, ele acredita que a experiência acumulada nos anos anteriores foi determinante para o sucesso em 2020.

– Acho que a experiência que a gente adquiriu em 2017 e 2018, os outros dois anos em que estive na diretoria de futebol, conseguiu fazer com que a gente estivesse pronto esse ano. O Robson [Melo] foi uma grata escolha porque é um cara que era o primeiro a chegar e o último a sair, muito trabalhador. A diretoria também nos deu o suporte necessário, os nossos patrocinadores foram incansáveis. A GR Esportes também foi incrível no apoio. A gente só pode agradecer a todos os partícipes dessa jornada. Agora começa uma nova batalha, uma nova luta, novos objetivos. Espero que a gente chegue forte na Primeira Divisão – ponderou.

O dirigente tunante também elogiou alguns dos adversários da Segundinha, torneio que considera de alto grau de dificuldade em razão do baixo suporte financeiro.

– A Segunda Divisão é uma competição muito cruel. A gente, infelizmente, não tem apoio financeiro e isso é um entrave absurdo, ainda mais em um ano de pandemia, com portões fechados. Foram três meses de muita luta. Subirem duas equipes de 20 também é um percentual muito pequeno de acesso. Muitos trabalhos aqui foram muito bem feitos, como São Francisco, São Raimundo, Caeté e Fonte Nova, mas que não conquistaram o acesso. Isso é algo que dificulta muito a Segunda Divisão. Mas a gente conseguiu – concluiu Pisco.

A 1ª divisão do Campeonato Paraense de 2021 está prevista para começar em fevereiro. O conselho técnico da Federação Paraense de Futebol, formado por dirigentes dos clubes participantes, foi convocado para uma reunião na próxima quarta-feira, dia 23, cujo tema principal é a definição de calendário e regulamento do torneio.


Ge.globo.com

Deixe seu Comentário